Implante de silicone salva vida de mulher ao desviar uma bala em seu peito

Pesquisadores canadenses liderados pelo cirurgião plástico Giancarlo McEvenue relataram o primeiro caso conhecido na literatura médica de um implante mamário de silicone alterando a trajetória de uma bala e provavelmente salvando a vida de uma mulher.

O incidente

O evento ocorreu em Ontário, no Canadá. Uma mulher de 30 anos que tinha implante nos seios estava andando na rua à noite, quando foi de repente acertada por uma bala.

O incidente está em investigação até hoje; o atirador ainda não foi identificado, nem a arma usada recuperada. A polícia determinou apenas que o projétil era de uma bala de cobre de calibre 0,40.

Enquanto o tiro não foi fatal, a mulher sofreu trauma na região do peito. Ela contou aos médicos que, na hora, sentiu calor e dor no peito esquerdo, enxergando sangue.

Depois de ser transferida para o hospital, sua condição foi estabilizada. Seu único ferimento consistia em um buraco de entrada de bala na parte superior do seio esquerdo.

Estudo de caso

Ao examinar a ferida, os médicos descobriram uma lesão térmica ao redor do buraco da bala no seio esquerdo, sugerindo que a arma foi disparada em proximidade da mulher.

“Com base na trajetória de entrada da bala e avaliação radiológica, a única fonte de deflexão da bala é o implante de mama esquerdo. Este implante cobre o coração e a cavidade intratorácica e, portanto, provavelmente salvou a vida da mulher”, disse a equipe médica no estudo de caso.

Embora o papel hipotético dos implantes mamários em diminuir a velocidade de balas já tenha sido investigado anteriormente, os pesquisadores dizem que esse caso é o primeiro no qual se é demonstrado, através de várias linhas de evidência, que deflexão (o desvio da bala) também pode ocorrer.

“Essa mudança de trajetória só pode ter sido devido à bala atingir o implante, pois ela não atingiu o osso do lado esquerdo (como evidenciado pela falta de fratura do lado esquerdo e uma bala que reteve energia suficiente para causar fraturas do lado direito)”, concluíram os médicos.

Os achados foram relatados em um artigo publicado na revista científica Plastic Surgery Case Studies. [ScienceAlert]

 

Por 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.