Estudo gigantesco de 24 mil sonhos mostra que eles realmente são uma continuação da realidade

Qual a origem dos sonhos? Sonhos tem significado? Essa pergunta é antiquíssima, repetida e teorizada há milhares de anos.

Antigamente a tendência era interpretar os sonhos como presságios e/ou conexões com o mundo espiritual. Hoje em dia tendemos a dar explicações mais tangíveis para os sonhos e conectá-los com a nossa vida durante a vigília, ou seja, sua relação com o que vivemos durante o dia.

Continuação da vida real

“A pesquisa forneceu repetidamente um forte apoio para o que os cientistas do sono chamam de “hipótese de continuidade dos sonhos“: a maioria dos sonhos é uma continuação do que está acontecendo na vida cotidiana. Acontece que a vida cotidiana afeta os sonhos (por exemplo, a ansiedade na vida leva a sonhos com afeto negativo) e vice-versa (por exemplo, sonhar afeta as habilidades de resolução de problemas)”, afirmam os pesquisadores coordenados por Alessandro Fogli, cientista da computação da Universidade Roma Tre, na Itália em estudo recente.

Essas teorias da psicologia tem origem na obra de Sigmund Freud, entre outros, no século passado. Esses trabalhos criaram a noção de que os sonhos possuem significados misteriosos que poderiam ser revelados quando observados junto aos acontecimentos ocorridos durante a vigília.

Sistema Hall & Van de Castle de análise do significado do sonho

Nessa modalidade de analisar os sonhos, especialistas auxiliam seus clientes na interpretação de seus sonhos usando relatos dos sonhos, pistas, símbolos e outras estruturas que possam estar ligadas a própria vida.

Um dos métodos com melhor reputação na interpretação dos sonhos é o sistema Hall & Van de Castle, que analisa os sonhos com base em seus personagens, as relações destes personagens e os efeitos de suas interações sobre ditos personagens, incluindo muitos outros aspectos.

Uma dificuldade do sistema Hall & Van de Castle é a lentidão do processo altamente trabalhoso e gradual para identificar os elementos dos sonhos. Por isso os pesquisadores tem buscado por soluções computacionais que possam agilizar a tarefa.

No último estudo os pesquisadores encontraram uma maneira de fazer exatamente isso: mapear os sonhos de muitas pessoas em larga escala ao analisar 24 mil sonhos de um enorme banco de dados de relatos de sonhos conhecido como DreamBank.

A ferramenta de análise de sonhos por computador

“Projetamos uma ferramenta que pontua relatórios de sonhos automaticamente, operacionalizando a escala de análise de sonhos amplamente usada por Hall & Van de Castle. Nós validamos a eficácia da ferramenta em relatórios de sonhos anotados à mão … e testamos o que os cientistas do sono chamam de “hipótese de continuidade” nesta escala sem precedentes”, disseram os cientistas.

O software que processa sonhos criado pela equipe simplificou o sistema Hall & Van de Castle, fazendo análise do texto dos relatos de sonhos com foco nos personagens, suas interações sociais e em palavras que evocam emoções.

A precisão do novo método em comparação com especialistas

“Essas três dimensões são consideradas as mais importantes para ajudar na interpretação dos sonhos pois definem a espinha dorsal do enredo de um sonho: quem estava presente, quais ações foram realizadas e quais emoções foram expressadas”, afirmam os pesquisadores.

Ao realizar a comparação do resultado da nova ferramenta com os resultados de especialistas em sonhos eles encontraram 75% de correspondência. Há margem para melhora, mas o resultado é muito promissor na pesquisa dos sonhos.

Os sonhos tem significado?

Os cientistas descobriram inclusive indicações que evidenciam a hipótese da continuidade, isto é, a idéia de que sonhos são uma extensão da vida cotidiana. Os cientistas dizem que os relatos dos sonhos possuíam inúmeros s “marcadores estatísticos” que evidenciam o que as pessoas haviam experimentado na vida durante enquanto acordados.

Se tiver curiosidade é possível navegar pelas análises dos cientistas através destes sonhos reais relatados neste website (em inglês).

Apesar de não ser a tecnologia definitiva para a análise dos sonhos e sua origem os cientistas afirmam que esse tipo de abordagem futuramente poderá “construir tecnologias que preenchem a lacuna atual entre a vida real e os sonhos”.

 

Por 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.