Obras das primeiras casas do SC Mais Moradia começam em Bom Jardim da Serra

Uma casa firme e sólida precisa de uma boa base, e a estrutura inicial das primeiras residências do SC Mais Moradia começam a sair do chão nas cidades de Bom Jardim da Serra e Vargeão. O programa do Governo do Estado, com apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social, investirá R$ 70 milhões, no total, em 61 municípios com os menores IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do estado.

As primeiras 15 casas de Bom Jardim da Serra e Vargeão já estão em obras. O valor investido é de R$ 1.050.000 e cada moradia deve ter entre 45 e 50m², com sala, cozinha, banheiro, lavanderia e dois quartos cada uma.

“A construção dessas casas é um marco, não só para o município, mas para todo o estado. É a concretização do sonho da população e a garantia de mais qualidade de vida para muitos catarinenses. Fazia 11 anos que Santa Catarina não tinha um programa de habitação. E nós concretizamos isso com o SC Mais Moradia”, ressalta o governador Carlos Moisés.

Os municípios beneficiados possuem o menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O SC Mais Moradia integra o programa Gente Catarina e prevê a construção de casas para pessoas que vivem em situação de pobreza e pobreza extrema. O objetivo é impulsionar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de cidades com os menores indicadores em Santa Catarina.

“É gratificante ser contemplado pelo SC Mais Moradia, pois vamos ajudar pessoas que realmente precisam, pessoas que sonham em ter um lugar digno de residir com sua família e com seus filhos.  Tirar as famílias da situação de vulnerabilidade é também a realização de um sonho meu, pois sei da dificuldade que é conseguir sua casa própria e um dos meus objetivos no plano de governo era auxiliar essas famílias mais necessitadas”, comenta o prefeito de Vargeão, Volmir Felipe.

A intenção do governo é construir oito mil casas até o ano de 2026. Com isso, seriam atendidas as famílias que vivem em maior vulnerabilidade social em Santa Catarina.

“A gestão técnica do governo Moisés possibilitou recursos que há anos não eram direcionados para a habitação. E a nossa secretaria não mediu esforços para auxiliar os municípios no que foi preciso para agilizar o acesso aos recursos para que a construção das casas iniciasse o quanto antes. Sabemos da urgência de um programa habitacional para a população em situação de vulnerabilidade”, lembra o secretário de Estado do Desenvolvimento Social, João Batista Costa.

A grande novidade do programa é que a cessão de uso dos imóveis ficará em nome de mulheres. O objetivo por trás da medida é garantir que elas tenham mais segurança em caso de problemas domésticos, como separação e violência doméstica.

Por Fabiano Peres e Luciane Lemos
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Desenvolvimento Social – SDS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.