in

Cinco destinos brasileiros para quem ama vinhos

Imagem: Agência de Notícias São Joaquim Online

Cinco destinos brasileiros para quem ama vinhos

 

O enoturismo é uma vocação turística que está sendo cada vez mais explorada em alguns cantos do Brasil e tem chamado atenção de viajantes de todo o mundo. Parte da diversão está em visitar vinícolas e conhecer de perto como é produzida a bebida desde o cultivo da uva aos processos de fermentação e amadurecimento.

 

Diferentes regiões do Brasil contam com vinícolas e adegas abertas à visitação e cidades prontas para receber turistas com todo o conforto, incluindo bons hotéis e ótimas redes de restaurantes especializados em harmonizar comidas típicas com os vinhos locais.

 

Quem quer fazer uma viagem diferente, especialmente no inverno, já pode providenciar a compra das passagens aéreas: selecionamos uma lista com as melhores regiões do país para aproveitar o enoturismo.

 

Vale dos Vinhedos

 

No Sul do Brasil, vinhos são uma tradição. O Vale dos Vinhedos, localizado na cidade de Bento Gonçalves (RS), é um destino charmoso que proporciona uma experiência inesquecível, prazerosa e saborosa. Com forte presença da imigração italiana, o município viveu da vitivinicultura durante muitas décadas, tendo despertado para a vocação turística na década de 1970. De lá para cá, tanto a produção de vinhos se desenvolveu na região – o Vale do Vinhedo tem as melhores vinícolas nacionais – quanto o turismo se profissionalizou. Atualmente, a rede de hospedagem é bastante diversificada e acolhedora.

 

Várias vinícolas oferecem passeios que abarcam várias técnicas de produção além de experiências de degustação. São mais de 500 rótulos. Além das vinícolas, o destino conta ainda com o Hotel & Spa do Vinho Autograph Collection, um lugar para relaxar e manter um estilo de vida saudável. Onde há bons vinhos, deve haver também boa comida. A cidade é repleta de excelentes restaurantes de comida brasileira e italiana, além de chocolates artesanais.

 

Planalto Catarinense

 

Em Santa Catarina, três cidades criaram uma rota do vinho de deixar qualquer turista com água na boca. Lages, Bom Retiro e São Joaquim são responsáveis pela viticultura de altitude, com produções acontecendo entre 900 m e 1.350 m acima do nível do mar. O planalto na região possui condições climáticas favoráveis à vinicultura fina, voltada para a exportação, e os visitantes podem acompanhar a produção de vinhos feitos com variedades refinadas, como cabernet sauvignon, chardonnay, sauvignon blanc, riesling, nebbiolo e pinot noir.

 

Com o crescimento e a profissionalização dos empreendimentos, os passeios têm se tornado cada vez mais interessantes. As cidades também aliam o amor pelos vinhos à gastronomia típica, com restaurantes de menu adaptado às baixas temperaturas locais. O destinos também agradarão aos apaixonados pelo ecoturismo, já que há opções de passeios em trilhas, rapel e canoagem.

 

Vale do São Francisco

 

Parece impossível, mas o semiárido nordestino também tem se destacado como um espaço para a produção de vinhos de qualidade. Mesmo com nove meses de seca por ano, a tecnologia permitiu que o Vale do São Francisco fosse cenário para o cultivo de uvas viníferas. Os produtores locais usam a irrigação controlada com águas do Velho Chico entre a Bahia e Pernambuco.

 

No total, quatro municípios aproveitam bem a vinicultura: Petrolina, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco, e Casa Nova, na Bahia. São mais de 500 mil hectares de vinhedos, muitos deles abertos à visitação.

 

O alto teor de açúcar é a marca principal dos vinhos produzidos no Vale do São Francisco, devido à longa exposição das uvas ao sol durante o ano. Para harmonizar, o Bodódromo, em Petrolina, é um dos melhores espaços gastronômicos, sendo um complexo com dez restaurantes de comida típica: carne de bode e carneiro.

 

Interior de São Paulo

 

A cidade de São Roque, a 60 quilômetros de São Paulo, é um dos destinos de enoturismo mais conhecidos no Brasil. Por estar na região serrana, o clima favorece a produção e é também um convite aos amantes da bebida milenar. O município dispõe de um roteiro pelas vinícolas de mais de 10 km, permitindo que o visitante acompanhe de perto a colheita das uvas e a fabricação do vinho, com direito à degustação.

 

Como a maior parte das vinícolas está disposta na zona rural de São Roque, o passeio não fica restrito à aproveitar vinhos. O turismo rural é outra forte vocação da cidade e várias vinícolas contam com atividades voltadas ao campo, como passeios de cavalo e pônei, além da pesca.

 

São Roque harmoniza sua produção de vinhos com uma rede de restaurantes portugueses e italianos com cardápio atrativo na Estrada do Vinho. Adegas, pousadas e mercearias vendem ainda produtos típicos ótimos para levar para casa depois da viagem, como salames, queijos, compotas e doces caseiros.

 

Sul de Minas

 

No Sul de Minas, a cidade de Poços de Caldas é o principal destino para amantes do vinho. O município conta com a fazenda experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), que apoia os produtores locais, incluindo os que fabricam vinhos. O destino ainda não conta com tantas opções de vinícolas para serem visitadas, mas é possível aproveitar uma boa bebida na rede de restaurantes, com gastronomia mineira e carta de vinhos locais.

 

Além de Poços de Caldas, o turista pode esticar para outras cidades que também estão despontando na vinicultura, como Andradas, Cordislândia, Três Corações e, mais próxima de Belo Horizonte, Boa Esperança.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O presente da sua Mãe está aqui na Ortobom

PREVISÃO DO TEMPO NOS DIAS 19 A 22 DE ABRIL DE 2018 E TENDÊNCIA PARA O OUTONO/MEADOS DO INVERNO 2018.