Alerta: onda de calor aumenta incidência de cobras Jararaca

Temperaturas elevadas aumentam o número de relatos sobre o aparecimento de cobras nos meios urbano e rural. Espécie é venenosa e aumento da temperatura deixa as cobras em busca de alimento.

Nesta época do ano, com a chegada do calor, são mais comuns relatos sobre o aparecimento de cobras na cidade e no interior. A temperatura externa é essencial para as atividades desses animais. “Com o calor da primavera e verão esquentando os corpos das serpentes, elas voltam para suas rotinas normais, depois de algumas semanas ou meses em forma de hibernação”.

jararaca-da-mata (nome científicoBothrops jararaca) é uma serpente de até 1,6 m, encontrada no Brasil (da Bahia ao Rio Grande do Sul) e em regiões adjacentes no Paraguai e Argentina. Origina -se do tupi yara’raka.

Área de ocorrência natural da jararaca-da-mata.

Nomes populares: Jararaca, jararacuçu, cruzeira, caiçara, cotiara, urutu, jararaca do rabo branco, surucucurana.

Nomes científicos: Bothrops alternatusBothrops jararaca,Bothrops jararacussuBothrops atroxBothops moogeniBothrops cotiara, etc.

Descrição: Apresentam colorido variável, podendo ser marrom escuro, amarelado, acinzentado, ou esverdeado, com desenhos escuros laterais semelhantes a um “v” invertido ou em forma de gancho de telefone. Medem aproximadamente 1 a 1,5 metro de comprimento. Possuem fosseta loreal e cauda lisa. São responsáveis por cerca de 90% dos acidentes com serpentes peçonhentas. 


Habitat: São amplamente distribuídas em todo território nacional. A grande maioria tem hábitos noturnos e preferem viver em ambientes úmidos, pero de rios e lagos, ou em plantações, onde se alimentam de pequenos mamíferos e outros vertebrados.


Ação do veneno: A composição do veneno pode variar de acordo com a idade do animal, distribuição geográfica, e caráter individual das serpentes. A complexa peçonha destas serpentes é dividida em didaticamente em três (3) frações: Proteolítica: responsável pelas intensas reações locais;
             Coagulante: responsável pelo consumo de fibrinogênio e formação de fibrina intravascular, culminando com um estado de incoagulabilidade sanguínea;
             Hemorrágica: que age sobre os vasos capilares causando sua ruptura.

Sintomatologia: A ação do veneno no organismo apresenta, até seis (6) horas após o acidente, muita dor, edema (inchaço), calor e rubor no local da picada. Pode haver sangramentos no local da picada ou distante dele (gengivas, nariz, outros locais). Entres seis (6) a doze (12) horas após a picada podem surgir bolhas, equimoses (manchas escuras), oligúria, anúria e insuficiência renal aguda (IRA). 

Tratamento: Os acidentes com serpentes do gênero Bothrops levam, em geral, a quadros graves. Portanto, a vítima deve ser conduzida o mais breve possível para o serviço de saúde que possui soro antibrotrópico. O médico que se depara com este quadro deve preocupar-se com as medidas de suporte (analgésicos, drenagem postural, hidratação), profilaxia do tétano e principalmente com a soroterapia. Notificar o Centro de Controle de Intoxicações.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.