Esperança: Conheça a injeção que conseguiu eliminar o câncer de mama

Crédito: Fotografixx/istock

Um estudo de uma nova terapia contra o câncer de mama em estágio 0, também conhecido como carcinoma ductal in situ (DCIS), mostrou ser capaz de eliminar completamente os tumores. Os resultados foram publicados na revista científica Proceedings of the National Academy of Science.

O câncer de mama em estágio 0 é caracterizado pela presença de células pré-cancerosas anormais dentro dos ductos de leite na mama.

O tratamento para esse câncer costuma envolver cirurgia de remoção de mama e terapias de radiação para esses cânceres muito precoces e, em alguns casos, a quimioterapia ou terapias hormonais também são utilizadas.

O experimento de fase pré-clínica foi feito com camundongos que receberam uma injeção com imunotoxina direcionada nos ductos mamários através de aberturas no mamilo.

“Em nossa pesquisa, propusemos um tratamento alternativo em que a injeção da droga imunotoxina pelo ducto poderia resultar na limpeza do DCIS”, explicou o autor principal do estudo Saraswati Sukumar, professor de oncologia e patologia da Johns Hopkins.

experimento de fase pré-clínica foi feito com camundongos que receberam uma injeção com imunotoxina direcionada nos ductos mamários através de aberturas no mamilo.

“Em nossa pesquisa, propusemos um tratamento alternativo em que a injeção da droga imunotoxina pelo ducto poderia resultar na limpeza do DCIS”, explicou o autor principal do estudo Saraswati Sukumar, professor de oncologia e patologia da Johns Hopkins.

“Para nossa grande surpresa, as drogas mataram todas as lesões presentes naquele ducto mamário. Eu nunca tinha visto resultados tão dramáticos em minha vida”, afirmou.

Durante suas investigações, os pesquisadores primeiro avaliaram os efeitos de morte celular de HB21(Fv)-PE40, uma imunotoxina direcionada, em quatro linhagens celulares de diferentes subtipos moleculares de câncer de mama.

Essa toxina consiste em HB21, um anticorpo monoclonal (proteína que pode se ligar a um alvo específico — neste caso, ao receptor de transferrina humana (TRF), uma proteína transportadora encontrada em câncer de mama).

A HB21 foi fundida ao PE40, um fragmento de uma toxina bacteriana que interrompe a produção de proteínas nas células e leva à morte celular.

Segundo os autores, os tumores desapareceram dentro de duas semanas após a conclusão de dois dos três tratamentos, e nenhuma recorrência foi detectada por imagem mesmo após 61 dias.

Apesar do experimento ter sido feito com camundongos, os autores dizem que o resultado pode fornecer uma forte base para a realização de ensaios de viabilidade e segurança com humanos.

Fonte: Catraca Livre

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.