Dia do Professor: governador anuncia bolsas de pós-graduação e incentivo para  capacitação dos educadores

Fotos: Ricardo Wolffenbüttel /Secom

Em comemoração ao Dia do Professor, o governador Carlos Moisés anunciou nesta sexta-feira, 15, novas ações para a qualificação dos profissionais da educação de Santa Catarina. O investimento do Governo do Estado inclui 1,1 mil bolsas de pós-graduação para professores, lançamento da Política para Formação Continuada e mais 900 bolsas de licenciatura em todas as regiões do Estado.

“Hoje é um dia especial para todos os professores de Santa Catarina. Como reconhecimento do trabalho desses profissionais, já implementamos a remuneração mínima de R$ 5 mil. E na próxima terça-feira iremos entregar à Alesc o projeto de lei da descompactação da tabela salarial dos professores, que vai fazer com que o professor doutor em fim de carreira não receba menos de R$ 11 mil. É valorização para qualificar a educação”, afirma o governador.

O secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, destacou o trabalho dos professores para garantir o retorno das aulas presenciais, em 18 de fevereiro. “O esforço da categoria foi reconhecido pelo governador com a remuneração mínima e nos vários investimentos que temos em andamento. Mas estamos atuando em outras áreas, como as oportunidades de formação e aperfeiçoamento, uma reivindicação antiga da categoria e que irá contribuir com a melhora do ensino catarinense”.


Reprodução / Secom 

Bolsas para professores da rede

Os professores terão a oportunidade de qualificação com as 1.100 bolsas de cursos de especialização, mestrado e doutorado. O edital irá priorizar os profissionais que atuam na rede estadual e será divulgado nos próximos dias no âmbito do Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina (Uniedu).

Serão abertas 650 vagas para especialização em Tecnologia Digitais aplicadas à Educação e 250 vagas para Especialização em Educação Ambiental, além de 100 vagas para Mestrado e 100 vagas para Doutorado. O investimento será de R$ 15,5 milhões. Considerando as bolsas de pós-graduação concedidas desde o início do ano, o investimento chega a R$ 28,6 milhões com 1,8 mil beneficiados.

Auxílio financeiro para participação em formações



Com a criação de uma política de formação continuada em serviço para os professores catarinenses, os docentes receberão um auxílio financeiro de R$ 20 por hora para participarem de formações. No caso de 40 horas, o valor pago aos profissionais pode chegar a R$ 800. O objetivo é criar uma política permanente de formação continuada, reunindo ações que atualmente são pontuais.

A política terá como base os editais publicados pela Secretaria de Estado da Educação (SED), nos quais os professores da rede poderão se inscrever para participar das formações. Os cursos serão ministrados de forma remota e incluem diferentes temáticas vinculadas aos programas e projetos estratégicos da pasta. O auxílio será pago aos profissionais que obtiverem o certificado de conclusão do curso, conforme especificações previstas no edital. 

“A valorização docente passa também pelo processo de qualificação permanente. E com a formação continuada em serviço, teremos uma bolsa permanente para qualificação dos professores de forma alinhada às estratégias de ensino, para que a educação possa ser aperfeiçoada diariamente. Essa é uma grande conquista e a rede se sente muito feliz em vivenciar isso neste momento”, reforça a diretora de Ensino da SED, Maria Tereza Paulo Hermes Cobra.

Mais 900 bolsas para cursos de licenciatura



Para facilitar a formação de mais professores em Santa Catarina, também foi anunciada a concessão de 900 bolsas para cursos de licenciatura. O investimento para facilitar o acesso ao ensino superior será realizado no âmbito do Uniedu com investimento de R$ 8 milhões – chegando a R$ 14,3 milhões investidos e 1.770 estudantes beneficiados nesta área desde o início do ano.

Serão 150 bolsas de Licenciatura Quilombola – Habilitação Pedagogia e outras 750 divididas entre os cursos de Dança, Ciências da Religião, Física, Arte, Letras Inglês, Sociologia, Educação Especial e Libras. A definição dos cursos foi feita considerando as áreas com maior número de professores não habilitados, de acordo com as Coordenadorias Regionais de Educação, e atendendo demandas históricas das comunidades.

Por Gabriel Duwe de Lima
Assessoria de Comunicação Secretaria de Estado da Educação – SED

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.