in

Enedino Batista Ribeiro, o articulador para a abertura da Serra do Rio do Rastro, é homenageado pela Alesc

Enedino Batista Ribeiro

Fundador do Curso de Farmácia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 1948 e um dos principais articuladores da abertura da estrada da Serra do Rio do Rastro, em 1955, o ex-deputado estadual (falecido em 1989) foi homenageado pelo deputado Estadual Dirceu Dresch, líder da bancada do PT, com a medalha Comenda do Legislativo Catarinense 2018, entregue durante Sessão Solene realizada nesta segunda-feira, 19/11. Sua filha Ismênia Ribeiro Schneider recebe a honraria em nome da família.

Ao todo, 38 personalidades e organizações que promoveram o desenvolvimento cultural, político e econômico do estado receberam a honraria este ano.

“Uma homenagem, um reconhecimento à trajetória de vida de uma das figuras mais expressivas do Planalto Serrano. Pessoa pública exemplar, que durante a sua trajetória deixou um legado, um acúmulo de contribuições políticas, acadêmicas, sociais e culturais em prol da população catarinense, em especial da região Serrana”, destaca Dresch.

Deputado estadual eleito suplente em 1950 pela União Democrática Nacional (UDN), Enedino exerceu o mandato por diversas vezes entre 1951 e 1954. Orador de destaque, entre suas principais bandeiras estava a construção da estrada do Rio do Rastro. Junto com ações voltadas para o desenvolvimento da agricultura, a construção de uma ligação entre a Serra e o Litoral Sul era tida por ele como fundamental para tirar o seu município natal, São Joaquim, e a região serrana do isolamento.

Trajetória

Enedino Batista Ribeiro nasceu a 14 de maio de 1899, em São Joaquim/SC. Casou-se com Lydia Palma Ribeiro, com quem teve dez filhos: Ernani, João Batista, Selva, Yolita, Yara, Elba, Ismênia, Iponá, Enedino e Gleci.

Formado em Farmácia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1923, retornou a sua terra natal para abrir uma farmácia e logo em seguida assumiu, em tempo integral, a função de Tabelião, além de desenvolver atividades pecuárias na região.

Mudou-se com a esposa e os filhos para Florianópolis/SC, onde se filiou à União Democrática Brasileira (UDN).

Em 1948, junto com demais lideranças, fundou o Curso de Farmácia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde foi professor de Farmacognosia.

Como candidato a deputado estadual recebeu 2.238 votos e ficou na posição de suplente. Foi convocado e assumiu o cargo durante vários períodos entre 1951-1955.

Após o mandato parlamentar, atuou como: presidente da Comissão Estadual de Abastecimento e Preços (1954-1956); diretor comercial da Empresa Força e Luz de SC (1956-1959); e inspetor geral interino da Inspetoria de Veículos e Trânsito Público de SC (1956).

Foi o primeiro titular do Cartório do 2º Ofício do Registro de Imóveis, localizado no Centro de Florianópolis/SC, exercendo o cargo de 3 de novembro de 1959 a 1960. Representou o Governo do Estado no Conselho Regional do Serviço Social Rural (1959-1961).

Também foi autor e escritor, tendo como obras: “Gavião-de-Penacho: Memórias de um Serrano” (1999), livro publicado pós-morte; “Farmacognosia – Drogas de Origem Animal” (1959) e “Monografia de São Joaquim” (1941).

Por Assessoria de Imprensa

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Banco da Família é destaque em premiação de empreendedorismo

Saretta homenageia agricultura familiar de São Joaquim e Bom Jardim da Serra com Comenda do Legislativo