Fundação Catarinense de Cultura lança cinco editais em 2020 e ajuda a fomentar o setor em ano de pandemia

A exposição virtual com obras da artista Vera Sabino sobre a Festa do Divino foi uma das organizadas neste ano - Imagem: Divulgação / FCC

Ainda que os espaços culturais administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) estejam fechados desde março, devido às medidas tomadas pelo Governo do Estado de Santa Catarina para evitar a propagação do novo coronavírus, 2020 foi um ano de muito trabalho e empenho das equipes técnicas no órgão. Isso porque justamente pelo fato de as apresentações e eventos culturais terem sido cancelados durante a pandemia, foi preciso fomentar o setor a fim de que os trabalhadores e trabalhadoras da área pudessem continuar produzindo. A FCC foi responsável pela coordenação de cinco editais que injetaram mais de R$ 35 milhões na economia criativa do Estado.

Entre julho e agosto, o Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura teve sua sexta edição com inscrições abertas. Dividido em três editais, nas áreas de Patrimônio e Paisagem Cultural, Artes Populares e Artes, disponibilizou um montante de R$ 5,6 milhões a 215 projetos de todas as regiões do Estado. No total, 1.251 propostas foram encaminhadas para concorrer à premiação.

No mesmo período, o Prêmio Catarinense de Cinema recebeu 386 propostas em 13 categorias. O valor total do edital é de R$ 5 milhões e, por meio dele, foram contemplados 49 projetos da área audiovisual de todo o estado.

Em agosto foi a vez de o edital #SCulturaemSuaCasa abrir suas inscrições. Totalmente pensado para o período de pandemia, quando as apresentações virtuais ganharam força, a iniciativa disponibilizou R$ 4 milhões, em uma parceria entre a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e o Governo do Estado. O recurso foi destinado para 1.213 apresentações com transmissão on-line, bem como geração e disponibilização de produtos e serviços artísticos ou culturais exclusivamente no formato digital.

Ainda atendendo à necessidade de auxílio que o setor enfrentou durante todo o ano, a FCC foi a responsável pela operacionalização da Lei Aldir Blanc (Lei Federal 14.017/2020) em Santa Catarina. O objetivo da lei é criar ações emergenciais para o setor cultural. Entre as medidas, houve auxílio financeiro a trabalhadores e trabalhadoras e a espaços artísticos e culturais que tiveram suas atividades interrompidas devido à pandemia do novo coronavírus

Além disso, a FCC também abriu inscrições para o Prêmio de Reconhecimento por Trajetória Cultural Aldir Blanc SC, que destinou R$ 18,8 milhões a 1.158 contemplados. Foram recebidas 1.620 inscrições de profissionais.

Para operacionalizar as inscrições nas oportunidades da Lei Aldir Blanc em SC, a FCC trouxe a plataforma MapaCulturalSC, numa versão atualizada, para o sistema de dados do próprio Governo do Estado, por meio do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (Ciasc). A iniciativa também teve o intuito de ampliar o acesso, o controle e a manutenção dessa importante ferramenta de cadastro e mapeamento dos dados da cultura em Santa Catarina.

Ainda como subsídio ao setor, atendendo à legislação, o Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil recebeu R$3,6 milhões.

Edital de Pareceristas e Avaliadores

Um quinto edital foi promovido pela FCC em junho deste ano, para credenciamento de profissionais do setor cultural e artístico para compor o Banco de Avaliadores e/ou Pareceristas de projetos inscritos em editais e prêmios realizados pelo órgão. Puderam se cadastrar pessoas físicas ou jurídicas, residentes ou não em Santa Catarina.

A lista final de selecionados contou com nomes de profissionais do ramo das artes, de patrimônio e do setor audiovisual. O edital é válido por um prazo de dois anos, prorrogável por mais dois. Os selecionados estão sendo chamados conforme demanda. Em 2020 foram contratados 53 pareceristas, para os quais foram distribuídos cerca de R$ 430 mil como remuneração.

Ações on-line

Para manter a comunicação com seus diversos públicos, os espaços culturais administrados pela FCC promoveram exposições virtuais, posts sobre seus acervos e curiosidades que podem ser acessadas também de forma virtual em seus sites e páginas nas redes sociais. O Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) criou tarefas relacionadas a exposições promovidas pela instituição. Uma mostra está sendo organizada com uma proposta de interação: trata-se da iniciativa “Masc + Escolas: Ações Digitais”. Além disso, o acervo do Masc, pode ser acessado de forma virtual e tem sido tema de posts diários nas redes sociais do Museu.

A Escolinha de Arte disponibilizou, semanalmente, tarefas de teatro, artes visuais e música, com propostas divididas por faixa etária de 5 a 12 anos.

O Museu da Imagem e do Som (MIS) criou o espaço pedagógico virtual Casa de Ideias. O projeto apresenta, todas as sextas-feiras, materiais digitais com propostas de atividades com etapas de produção, história, técnicas e teoria nas áreas de fotografia, cinema e música.


MIS recebeu a exposição virtual Arte/Cinema: do abismo de um sonho a outras histórias, do artista Alfredo Nicolaiewsky – Imagem: Divulgação

Também, por meio de uma parceria com a Unisul, estão sendo transmitidas sessões de cinema on-line aos fins de semana, por meio do canal do Cineclube Cinema Unisul no YouTube, enquanto as sessões presenciais no Cinema do CIC não voltam a ser realizadas.

A Biblioteca Pública de Santa Catarina oferece o serviço de pesquisas de acervo por e-mail e o agendamento de atendimento presencial exclusivamente a pesquisadores. Além disso, para a busca de dados, foi elaborado um tutorial para acessar a Hemeroteca Digital Catarinense que orienta pesquisas na plataforma.

O Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Atecor) publicou três videoaulas, somando 25 vídeos, direcionadas a profissionais que lidam diretamente com acervos em instituições públicas ou privadas. Na mesma linha, o Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC) elaborou vídeos para orientar a limpeza de obras de arte em casa. Exposições virtuais e atividades interativas, com uma ampla participação do público, foram publicadas no site do Museu Histórico e na página da instituição no Facebook durante todo o período.

O Sistema Estadual de Museus (SEM/SC), além de elaborar protocolos de segurança para a reabertura de museus durante ou após a pandemia, realizou pesquisas sobre o impacto da chegada do coronavírus aos espaços culturais. Mensalmente, o SEM/SC envia um informativo aos museus catarinenses com notícias de interesse do segmento.

A FCC oferece, ainda, a Agend@ Cultur@l, que ajuda na divulgação das diversas iniciativas que estão ocorrendo durante o isolamento social, nas mais variadas plataformas e redes sociais. Para ter o evento divulgado, o responsável deve preencher um formulário com as informações básicas sobre o evento.

Além disso, a FCC manteve ativo e ressignificado o espaço semanal que tem na rádio Udesc FM de Florianópolis, onde veicula o programa Miscuta. Durante a pandemia, a iniciativa valorizou os artistas que seguiram produzindo e lançando seus trabalhos nas plataformas on-line, sem deixar de lado o propósito de mostrar um pouco das pérolas que integram o acervo de vinis do MIS/SC.

Também no meio virtual, a FCC utilizou seu canal de vídeos no YouTube para realizar transmissões ao vivo para esclarecer dúvidas sobre seus editais e publicar vídeos com tutoriais, dicas de livros, materiais institucionais sobre seus espaços e ações.

Uma das transmissões mais significativas foi a cerimônia virtual de entrega da Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa a personalidades de destaque no setor cultural. A solenidade foi realizada no dia 24 de novembro, data de aniversário do poeta simbolista.

A Medalha é a maior honraria cultural de Santa Catarina, entregue oficialmente pelo Governo do Estado, por meio do Conselho e da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Com os agraciados de 2020, são, no total, 201 personalidades contempladas desde a criação do prêmio, entre pessoas físicas, jurídicas e in memoriam.

Lives no Teatro Pedro Ivo

Em caráter experimental, a FCC abriu inscrições para utilização do Teatro Governador Pedro Ivo Campos como palco para lives e gravações, sem a presença de público, em datas específicas. As lives ou gravações foram feitas para apresentação de música, teatro, dança, stand up comedy, entre outros. Elas ocorreram sem a presença de público, obedecendo o Protocolo de Segurança Sanitária adotado pela FCC. No palco, apresentaram-se no máximo seis artistas e o processo de gravação pode contar com a participação de até 15 pessoas.

Tirelli de volta pra casa

A tapeçaria criada por Almir Tirelli para o antigo saguão do Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, voltou para Santa Catarina. O retorno foi realizado a partir de um termo de doação assinado entre a FCC e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em Curitiba (PR), onde a obra estava salvaguardada.

Os três painéis que compõem a obra de 36m², além de outros dois trabalhos do artista, voltaram à capital e estão sob guarda da FCC. Atualmente a tapeçaria passa por um processo de higienização e será exposta quando os espaços culturais reabrirem.

Rosa de Anita


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Arquivo / Secom

Em fevereiro, Santa Catarina recebeu a visita da bisneta de Anita e Giuseppe Garibaldi, Annita Garibaldi. Ela veio para participar do plantio de mudas da Rosa de Anita em municípios catarinenses e nos jardins do Palácio Cruz e Sousa, sede do Museu Histórico de Santa Catarina. A Rosa de Anita é uma flor exclusiva, criada na Itália com o intuito de homenagear Anita Garibaldi em seu bicentenário, que será comemorado em 2021. As mudas estão sendo plantadas em cidades italianas e catarinenses que possuem relação com a história da heroína.

A ação integra o calendário comemorativo dos 200 anos de nascimento de Anita Garibaldi, que se estenderá até 2021.

Por Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.