Produtores conquistam a Denominação de Origem da Maçã Fuji da Região de São Joaquim

A melhor maçã do mundo !

Os mais de 1.800 produtores e a AMAP – Associação de Produtores de Maçã e Pera de Santa Catarina tem muito o que comemorar após a Maça Fuji da Região de São Joaquim finalmente ganhar a denominação de origem.

A Maçã Fuji foi produzida comercialmente em São Joaquim a partir do ano de 1973 pela Colônia Cotia (uma área colonizada por imigrantes japoneses) após ser trazida da Província nipônica de Aomori e desenvolvida na região de São Joaquim pelo doutor Shirosawa.

Área Geográfica Delimitada da Região de São Joaquim para Denominação de Origem da Maçã Fuji, possui área total de 4.928 km² abrangendo totalmente a área geográfica dos municípios de: São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Urupema, Urubici e Painel; Que compreende a área exclusivamente delimitada para produção da Maçã Fuji, em cota acima de 1.100 metros do nível do mar, e a área delimitada para a classificação, armazenagem e distribuição da Maçã Fuji.

Essa denominação vai beneficiar, principalmente, os agricultores familiares, pois eles terão oportunidade de buscar novos mercados devido às especificidades da fruta por eles produzida.

“Quem consome terá uma garantia da qualidade; quem produz terá o benefício de um mercado valorizado”. Respondeu Dione Nunes Pereira Presidente da AMAP que efetuou o pedido de Denominação de Origem em junho de 2020.

De acordo com a pesquisadora da Estação Experimental da Epagri de São Joaquim, Mariuccia Schlichting De Martin, essa denominação só foi alcançada após a comprovação que a qualidade diferenciada da maçã da região é determinada por condições climáticas, geográficas e humanas da região de origem. No que diz respeito às condições geográficas, a Fuji deve estar em pomares com altitude acima de 1.110m. “Esse parâmetro físico também reflete nas condições climáticas, pois acima dessa altitude existe uma maior chance de ocorrer pelo menos 700 horas de frio abaixo de 7,2 graus no ano, que são necessárias para o desenvolvimento fisiológico da cultivar e que vão resultar em maior qualidade: frutos maiores, mais arredondados e com menos defeitos físicos”. Explicou a pesquisadora da Epagri.

Agora só falta os produtores da Denominação de Origem da Maçã Fuji da Região de São Joaquim investirem em marketing e publicidade que logo teremos o reconhecimento da melhor maçã do mundo em solo puramente serrano.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.