in

Mais um importante serviço está interrompido em São Joaquim!

Em plena safra da maçã o mais importante serviço de empregos de São Joaquim está inoperante

O Posto de atendimento do Sistema Nacional de Emprego – SINE de São Joaquim está passando por maus bocados. Depois que todo o serviço de seguro desemprego, intermediação de mão-de -obra – IMO e também a confecção carteiras de trabalho e previdência social – CTPS, foram paralisados por falta de funcionários capacitados para o setor.

O SINE tinha seu funcionamento adequado com 03 funcionários (as), mas hoje só conta com um, a qual não dispõe das senhas e cadastros necessários para gerenciar o programa de atendimento ao público.

Entenda o que ocorreu:

  • A funcionária responsável pelo atendimento ao seguro desemprego adoeceu e precisou se ausentar, pela perícia médica ela só poderá retornar no mês de junho, dependendo ainda de uma nova liberação médica.

 

  • A outra funcionária que possui a senha e que estava cadastrada no programa para a confecção das carteiras de trabalho foi transferida para outro setor dentro da prefeitura de São Joaquim.

 

  • E o último funcionário habilitado e que possuía o cadastro e senhas para manusear os programas de intermediação de mão de obra (que faz o SINE permanecer aberto e funcionar), seguro desemprego e também trabalhava nas carteiras de trabalho na ausência das demais funcionárias recebeu a informação da Secretária de Administração de que estava de férias a partir de 1º de abril.

 

  • Uma outra funcionária, recém contratada, foi alocada “sozinha” no posto do SINE para fazer todo o trabalho sem nenhuma senha, nenhum cadastro e sem ao menos possuir algum treinamento para executar tais serviços.

 

Tal ação paralisou totalmente o atendimento no Posto do SINE! E pior, em plena safra da maçã, o que causou um certo prejuízo no setor de empregos na cidade que mais produz maçã no Brasil, gerando uma certa revolta de desempregados que precisam de serviço e também dos trabalhadores que necessitam principalmente do seguro desemprego.

Setor da maçã corresponde ao grande trabalho do posto do SINE de São Joaquim

O funcionário público Dalton Nunes, que atua no Posto do SINE, revelou que ainda tentou informar o poder público municipal sobre os prejuízos do não atendimento para inúmeros trabalhadores (as), mas foi solenemente ignorado pela administração:

-“Quando me deram férias, fui comunicado pela Secretária de Administração de que não poderia continuar trabalhando, enviei um documento ao Prefeito e procurei o Ministério Público para informar sobre a atual situação, porém não obtive êxito.” Informou o funcionário Público Dalton Nunes.

Documento enviado pelo funcionário público Antônio Dalton Nunes ao Gabinete relatando que se caso tirasse férias os serviços seriam afetados no Posto do SINE.

O Ministério Público questionou a administração sobre a falta de funcionamento do SINE e a Administração informou que tudo estava ocorrendo normalmente conforme a resposta encaminhada ao MP.

Resposta da Secretária de Administração ao Ministério Público de que a funcionária foi treinada e que conseguia exercer todas as tarefas do setor.

Porém, não foi isso o que foi presenciado na tarde desta quinta-feira (11) quando um certo alvoroço  se instalou no Posto do SINE porque os trabalhadores não obtiveram atendimento nem das carteiras de trabalho e muito menos do seguro desemprego.

O vice prefeito de São Joaquim Maurício Yamashiro respondeu por telefone que também recebeu a tal reclamação e foi pessoalmente ao posto do SINE verificar o ocorrido:

Também recebi a reclamação e fui lá ver o que estava acontecendo, pelo que eu vi é que a atendente não possui realmente o acesso ao sistema, os únicos que possuem são os outros funcionários, passei ao setor de RH para que resolva o quanto antes o problema” Relatou o Vice Prefeito Maurício Yamashiro.

Já no posto do SINE a reclamação de trabalhadores e desempregados é uníssona:

“Estamos sendo prejudicados, não é possível que tenha um posto de atendimento e que não preste nenhum atendimento, o que é isso? Que trapalhada é essa ? Como que deixam a funcionária sem acesso, sem cadastro e sem treinamento ao sistema? Que tipo de atendimento é esse?

Respondeu um trabalhador de fora do estado demonstrando profunda angústia pelo acontecido.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer dar um presente diferente nesta Páscoa? Venha até a Lamar Supercenter e confira nossas novidades e ofertas especiais

Aristeu Ramos – O varredor da Praça da Igreja que é um verdadeiro exemplo de trabalho e dedicação em São Joaquim