Cistos nos ovários: quando devo me preocupar?

Os cistos no ovário são estruturas arredondadas que possuem um conteúdo líquido no seu interior.

Geralmente aparecem durante o período reprodutivo da mulher, ou seja, são mais frequentes nas mulheres antes do período da menopausa.

O ovário é um órgão responsável pela ovulação, permitindo com isso que diversos cistos sejam gerados.

No entanto, a grande maioria dos cistos nessa região são benignos e acabam desaparecendo sozinhos após um certo período, sendo chamados de cistos funcionais.

Já os cistos não funcionais por sua vez não costumam ter involução espontânea.

Nestes casos o tratamento pode variar desde o acompanhamento até a cirurgia de cisto de ovário, a depender do seu tamanho e suas características.

Por isso se você quer entender um pouco melhor sobre o assunto, continue a leitura e venha descobrir mais sobre os cistos no ovário e as opções de tratamento para essa alteração tão comum entre as mulheres.

Cistos funcionais

Como já relatamos brevemente, os cistos funcionais são os mais frequentes e costumam aparecer na idade reprodutiva, ou seja, da primeira menstruação até a menopausa.

Esses cistos funcionais surgem do crescimento de cistos foliculares que dão origem ao óvulo no período da ovulação da mulher.

Também é possível que não ocorra ovulação e assim o cisto folicular continue crescendo sem liberar o óvulo.

Sendo assim, elespodem atingir diversos tamanhos, mas não costumam ultrapassar 5 cm de diâmetro.

O crescimento para além desse tamanho, pode provocar dor na região pélvica ou dor durante a relação sexual, aumentando os riscos também de torção ovariana.

Existe ainda outro tipo de cisto funcional, chamado de cisto hemorrágico. Ele é resultado de um pequeno sangramento no interior do ovário após a ovulação.

Outra informação importante é que existe a possibilidade do cisto hemorrágico se romper e causar sangramento para dentro do abdome.

Nestes casos, dependendo da intensidade do sangramento abdominal, pode ser necessária a cirurgia para conter o sangramento. No entanto, na maioria das vezes, esse sangramento cessa de forma espontânea.

Mesmo sendo muito frequentes, os cistos funcionais dificilmente precisam de algum tipo de tratamento e acabam sendo reabsorvidos espontaneamente em algumas semanas.

Entretanto, é recomendado o acompanhamento de sua involução com a sua ginecologista.

Outros cistos ovarianos

Existem ainda outros tipos de cistos nos ovários, incluindo benignos e malignos. O risco de malignidade é maior após a menopausa.

Os melhores exames para avaliar as características dos cistos são através da ultrassonografia pélvica transvaginal e a ressonância magnética da pelve.

Seu tratamento varia de acordo com diversas características individuais de cada paciente como idade, tamanho do cisto, desejo de gravidez, infertilidade, entre outros.

De um modo geral, cistos benignos podem ser acompanhados até aproximadamente 4 a 6 cm, variando de acordo com cada caso. Alguns exemplos de cistos benignos são: teratomas, endometriomas e fibromas.

Já quando há o risco de malignidade, opta-se pelo encaminhamento para o oncoginecologista para uma abordagem cirúrgica completa.

Sintomas

Os principais sintomas relacionados aos cistos ovarianos são:

  • Dor abdominal e pélvica
  • Dor na relação sexual
  • Riscos de torção ovariana
  • Risco de rotura do cisto
  • Infertilidade

Vale ressaltar que na maioria dos casos de torção anexial ou rotura do cisto, uma cirurgia de urgência deve ser realizada.

Esses quadros causam dor abdominal aguda e intensa, levando a mulher a procurar atendimento no pronto socorro.

Tratamento

O tratamento varia muito de acordo com as características do cisto e da mulher.  

Os cistos funcionais são acompanhados ao longo de algumas semanas, pois costumam ter resolução espontânea, sem a necessidade de nenhuma intervenção médica.

Cistos considerados benignos também podem ser acompanhados desde que não ultrapassem diâmetros maiores que 4 a 6cm. Em alguns casos, é necessária a cirurgia para sua retirada.

A via de escolha é a videolaparoscopia, por ser uma técnica menos invasiva e com recuperação pós operatória mais rápida.

Os cistos com características sugestivas de malignidade, devem ser removidos com equipes especializadas em oncologia pélvica, pois somente após a análise pós operatória, conseguimos definir a natureza do mesmo.

 

Conclusão

Sendo assim se você for diagnosticada ou conhece alguém com cisto no ovário, não há motivo para pânico, pois a imensa maioria é benigna.

No entanto, existe sim a possibilidade de o cisto ovariano ser maligno ou evoluir para malignidade com o passar dos anos.

Sendo assim, é fundamental uma avaliação com um ginecologista especialista e seguimento do cisto rotineiramente, caso não haja indicação cirúrgica.

Por isso, agende sua consulta com o seu ginecologista e esteja sempre em dia com a saúde do seu corpo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.