Noite Nativista no Play Pub com João Chagas Leite o cantor e compositor do Desassossegos

A noite do dia 03 de dezembro de 2021 será especial para os amantes da música nativista na Serra Catarinense, em Bom Jardim da Serra no Play Pub, isso porque terá a atração especial do show com João Chagas Leite, o cantor e composito, autor e interprete de sucessos da música nativista gaúcha como “Ave Sonora, Desassossegos e Por quem cantam os cardeais”, Amigos do Rio Uruguai, e Barranqueiros. A noite ainda terá a apresentação de Martinez e Diana no mesmo palco do consagrado cantor.

 João Chagas Leite possui letras são de grande profundidade poética associada ao nativismo.

Ao participar da Califórnia da Canção Nativa, em Uruguaiana, sua terra natal, João Chagas Leite encontrou sua verdadeira identidade, tornando-se, ao longo desses últimos anos, um dos renomados intérpretes da música nativista, reconhecido não apenas no Rio Grande do Sul, mas também além fronteiras.

São 13 primeiros lugares em festivais de música nativista, tendo vencido duas vezes consecutivas a 3ª e 4ª Tertúlia Musical Nativista, entre outros. A primrita Tertúli que venceu como intérprete foi com a música Penas, e depois com Pampa e Querência.

Já fez apresentações no Memorial da América Latina, em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Salvador, Espírito Santo, Uruguai e Argentina.

Todo o trabalho do cantor é baseado na linha de projeção folclórica, isso é, onde a música for cantada seu linguajar é conhecido.

Ouça sua voz marcante:

Veja uma das letras mais marcantes do artista:

Desassossegos

Meus desassossegos sentam na varanda,
Pra matear saudades nesta solidão,
Cada por de sol, dói feito uma brasa,
Queimando lembranças, no meu coração.

Vem a noite aos poucos, alumiar o rancho,
Com estrelas frias, que se vão depois.
Nada é mais triste, neste mundo louco,
Que matear com a ausência, de quem já se foi.

Que desgosto o mate, cevado de mágoas,
Pra quem não se basta, pra viver tão só.
A insônia no catre, vara a madrugada,
Neste fim de mundo, que nem Deus tem dó.

Meus desassossegos sentam na varanda,
Pra matear saudades nesta solidão,
Cada por de sol, dói feito uma brasa,
Queimando lembranças, no meu coração.

Então me pergunto neste desatino,
Se este é meu destino, ou Deus se enganou?
Todo desencanto para um só campeiro,
Que de tanto amor se desconsolou.

Não perca este evento, informações e reservas pelos fone: 49 991091759.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.