MTur investe na Serra Catarinense construção de Centros de Atendimento ao Turista 

Oito cidades da região contam com quase R$ 1 milhão do órgão do Governo Federal para implantar estruturas do tipo e reforçar a orientação a visitantes

A Serra Catarinense, conhecida por abrigar algumas das localidades mais frias do Brasil e palco de atrativos como cânions, cachoeiras e vinícolas, vai reforçar suas condições de acolher visitantes. Com um investimento total de R$ 960 mil do Ministério do Turismo, oito cidades da região, em Santa Catarina, poderão implantar Centros de Atendimento ao Turista (CATs), que proporcionam valiosas informações sobre os destinos locais.

Uma delas é São Joaquim, considerada a “capital nacional da maçã”. Distante cerca de 230 quilômetros de Florianópolis, capital do estado, o município ostenta pontos turísticos a exemplo do Museu Histórico Assis Chateaubriand, do Monumento Manoel Joaquim Pinto, da Igreja Matriz e do Mirante dos Pinheiros. Os recursos do MTur também contemplam a vizinha Urupema, onde, no inverno, a ocorrência de neve realça cachoeiras e a vegetação com cristais de gelo.

O ministro do Turismo, Carlos Brito, aponta esforços pela adequada preparação de destinos nacionais para garantir boas experiências a visitantes. “Os CATs desempenham um papel crucial na orientação quanto à variada oferta de atrativos no país. Oferecer uma boa acolhida ao turista contribui para a avaliação positiva dos destinos nacionais e, consequentemente, desperta cada vez mais o interesse em viajar mais pelo país”, sustenta.

A lista de cidades beneficiadas pelo investimento na construção de CATs engloba, ainda, Urubici. Situado cerca de 175 km de Florianópolis, o município ostenta virtudes como o Cânion Espraiado, a Cascata Véu de Noiva e a Serra do Corvo Branco. Nesta última, uma lendária estrada cheia de curvas sinuosas proporciona emoções e um visual único. Outro local de destaque é o Morro da Igreja, com 1.822 metros de altitude e que permite avistar o litoral sul do estado.

Os recursos do MTur também asseguram a implantação de Centros de Atendimento ao Turista em Bocaina do Sul, cenário de atrativos a exemplo da Cachoeira Morro das Pacas; Bom Retiro, ponto de maior altitude em Santa Catarina; Rio Rufino, que abriga a Cascata Alto da Serra; Bom Jardim da Serra, palco de imponentes cânions e da Serra do Rio do Rastro; e Painel, que oferece belezas naturais como as corredeiras da Garganta do Caveiras.

O contrato referente aos CATs no estado foi celebrado com o Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense (CISAMA). A entidade, voltada à promoção do desenvolvimento social, cultural e econômico do território, busca dotar a região da infraestrutura necessária à crescente expansão de atividades turísticas. O objetivo é ampliar o fluxo de visitantes ao longo do ano e, assim, fortalecer equipamentos turísticos, como hotéis e restaurantes.

CATs – Desde 2019, o Ministério do Turismo já investiu mais de R$ 25 milhões em projetos de construção ou reforma de Centros de Atendimento ao Turista de 18 estados e do Distrito Federal. O trabalho favorece a boa percepção quanto aos destinos percorridos no país. Dados do Estudo de Demanda Turística Internacional do MTur, por exemplo, revelam que, em média, 88% dos visitantes avaliam positivamente o quesito “informação turística” no Brasil.

 

Por André Martins
Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Imagem: Mycchel Legnaghi

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.